Despertando vidas para reino dos céus!


Mostrando postagens com marcador Mensagem da Bíblia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mensagem da Bíblia. Mostrar todas as postagens

25 de março de 2017

VOLTANDO A CASA DE DEUS

Gênesis 13:3 - 7 – “Nas suas jornadas subiu do Negebe para Betel, até o lugar onde outrora estivera a sua tenda, entre Betel e Ai, até o lugar do altar, que dantes ali fizera; e ali invocou Abrão o nome do Senhor. E também Ló, que ia com Abrão, tinha rebanhos, gado e tendas. Ora, a terra não podia sustentá-los, para eles habitarem juntos; porque os seus bens eram muitos; de modo que não podiam habitar juntos. Pelo que houve contenda entre os pastores do gado de Abrão, e os pastores do gado de Ló. E nesse tempo os cananeus e os perizeus habitavam na terra.”
Gênesis 28:13 - 17 – “por cima dela estava o Senhor, que disse: Eu sou o Senhor, o Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque; esta terra em que estás deitado, eu a darei a ti e à tua descendência; e a tua descendência será como o pó da terra; dilatar-te-ás para o ocidente, para o oriente, para o norte e para o sul; por meio de ti e da tua descendência serão benditas todas as famílias da terra. Eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; pois não te deixarei até que haja cumprido aquilo de que te tenho falado. Ao acordar Jacó do seu sono, disse: Realmente o Senhor está neste lugar; e eu não o sabia. E temeu, e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus.”
Encerramos hoje as ministrações das Riquezas de Abraão, tempo onde sem dúvida alguma fomos marcados pelo Senhor. Recebemos palavras proféticas, tivemos atitudes espirituais e sem dúvida alguma estamos vivendo as grandes bênçãos das Riquezas de Abraão.
Abraão em suas peregrinações pela terra de Canaã volta para Betel, local onde ele já havia estado anteriormente e onde já tinha tido grandes experiências com Deus que o chamara para viver um poderoso mover de prosperidade.
VOLTAR A BETEL REPRESENTA ESTAR NA CASA DE DEUS, E:
· DESLIGAR-SE DOS QUE INVEJAM O QUE É TEU
· DESLIGAR-SE DO QUE TE TROUXE PESO, JUGO
· DESLIGAR-SE DO QUE TE TRAZ CONTENDA, LUTA
· DESLIGAR-SE DOS QUE AMBICIONAM O QUE É TEU
· DESLIGAR-SE DOS QUE TEÊM A VISÃO PEQUENA E TACONHA (POBRE, MISERÁVEL)
· DESLIGAR-SE DO PESO DA PARENTELA PARA VIVER A BÊNÇÃO DA SUCESSÃO APOSTÓLICA
EU VOLTO A BETEL RICO, COM A SUCESSÃO DE ABRAÃO, POIS:
A) tenho minha alegria em suprir a casa de deus
Gênesis 31:13 – “Eu sou o Deus de Betel, onde ungiste uma coluna, onde me fizeste um voto; levanta-te, pois, sai-te desta terra e volta para a terra da tua parentela.”
B) tenho um deus que me guarda de todo mal
Gênesis 35:1,5 – “Depois disse Deus a Jacó: Levanta-te, sobe a Betel e habita ali; e faze ali um altar ao Deus que te apareceu quando fugias da face de Esaú, teu irmão. Então partiram; e o terror de Deus sobreveio às cidades que lhes estavam ao redor, de modo que não perseguiram os filhos de Jacó.”
C) o senhor, na minha angústia, sempre me honrou
Gênesis 35:3 – “Levantemo-nos, e subamos a Betel; ali farei um altar ao Deus que me respondeu no dia da minha angústia, e que foi comigo no caminho por onde andei.”
D) nesse tempo deus me trouxe revelações e grandes livramentos
Gênesis 35:6 e 7 – “Assim chegou Jacó à Luz, que está na terra de Canaã {esta é Betel}, ele e todo o povo que estava com ele. Edificou ali um altar, e chamou ao lugar El-Betel; porque ali Deus se lhe tinha manifestado quando fugia da face de seu irmão.”
E) deus mudou os meus referenciais de vida, sou príncipe, sou israel. (sou fecundo)
Gênesis 35: 10-15 – “E disse-lhe Deus: O teu nome é Jacó; não te chamarás mais Jacó, mas Israel será o teu nome. Chamou-lhe Israel. Disse-lhe mais: Eu sou Deus Todo-Poderoso; frutifica e multiplica-te; uma nação, sim, uma multidão de nações sairá de ti, e reis procederão dos teus lombos; a terra que dei a Abraão e a Isaque, a ti a darei; também à tua descendência depois de ti a darei. E Deus subiu dele, do lugar onde lhe falara. Então Jacó erigiu uma coluna no lugar onde Deus lhe falara, uma coluna de pedra; e sobre ela derramou uma libação e deitou-lhe também azeite; e Jacó chamou Betel ao lugar onde Deus lhe falara”.
gênesis 17:1 – “Quando Abrão tinha noventa e nove anos, apareceu-lhe o Senhor e lhe disse: Eu sou o Deus Todo-Poderoso; anda em minha presença, e sê perfeito;”
sê perfeito, SEJA israel
Oração Profética: Eu encerro hoje este ciclo, na certeza de viver todas as palavras liberadas sobre mim e sobre minha família. Declaro obediência à palavra de Deus, aos seus mandamentos e à sua vontade, e sei que isto determinará a minha condição de riqueza e prosperidade. Como Abraão, eu possuirei toda sorte de bens e serei poderoso sobre a terra, em nome de Jesus, amém!

DEUS TE ABENÇOE...

22 de abril de 2016

ABENÇOA-ME!

II Crônicas 24:4-14 : 04- Depois disso Joás resolveu renovar a casa do Senhor. 5- Reuniu, pois, os sacerdotes e os levitas e lhes disse: Saí pelas cidades de Judá, e levantai dinheiro de todo a Israel, anualmente, para reparar a casa do vosso Deus; e vede que apresseis este negócio: contudo os levitas não o apressaram. 6- Pelo que o rei chamou Jeoiada, o chefe, e lhe perguntou: Por que não tens obrigado os levitas a trazerem de Judá e de Jerusalém o imposto ordenado por Moisés, servo do Senhor, à congregação de Israel, para a tenda do testemunho? 7- Pois os filhos de Atalia, aquela mulher ímpia, tinham arruinado a casa de Deus; e até empregaram todas as coisas sagradas da casa do Senhor no serviço dos baalins.

8- O rei, pois, deu ordem; e fizeram uma arca, e a puseram do lado de fora, à porta da casa do Senhor. 9- E publicou-se em Judá e em Jerusalém que trouxessem ao Senhor o imposto que Moisés, o servo de Deus, havia ordenado a Israel no deserto. 10- Então todos os príncipes e todo o povo se alegraram, e trouxeram o imposto e o lançaram na arca, até que ficou cheia. 11- E quando era trazida a arca pelas mãos dos levitas ao recinto do rei, na ocasião em que viam que havia muito dinheiro, vinham o escrivão do rei e o deputado do sumo sacerdote, esvaziavam a arca e, tomando-a, tornavam a levá-la ao seu lugar.

Assim faziam dia após dia, e ajuntaram dinheiro em abundância. 12- E o rei e Jeoiada davam-no aos encarregados da obra da casa do Senhor; e assalariaram pedreiros e carpinteiros para renovarem a casa do Senhor, como também os que trabalhavam em ferro e em bronze para repararem a casa do Senhor. 13- Assim os encarregados da obra faziam com que o serviço da reparação progredisse nas suas mãos; e restituíram a casa de Deus a seu estado anterior, e a consolidaram. 14- Depois de acabarem a obra trouxeram ao rei e a Jeoiada o resto do dinheiro, e dele se fizeram utensílios para a casa do Senhor, para serem usados no ministério e nos holocaustos, e colheres, e vasos de ouro e de prata. E se ofereciam holocaustos continuamente na casa do Senhor, por todos os dias de Jeoiada.

Qual o propósito para o dinheiro que DEUS lhe dá?

Ouvimos muitas pregações e ensinamentos sobre como DEUS nos abençoará e nos fará prosperar quando lhe apresentarmos as nossas ofertas. Sabemos que o nosso DEUS suprirá todas as nossas necessidades. Sabemos que, quando contribuímos fielmente com os nossos dízimos e nossas ofertas, DEUS abrirá as janelas do céu e derramará tamanhas bênçãos sobre nós que nem seremos capazes de contê-las!

Quando contribuímos de acordo com a Sua Palavra, podemos ficar firmes na fé e usufruir essas promessas. Entretanto, o propósito de DEUS ao liberar as suas bênçãos sobre nossa vida, não é apenas nos fazer adquirir riquezas para o nosso uso pessoal.
DEUS não pretende multiplicar as suas bênçãos em nossa vida apenas para nos acrescentar posses mundanas.

O propósito de DEUS ao fazer o seu povo prosperar não é somente suprir as nossas necessidades momentâneas e sim, financiar o evangelismo para promover a colheita final de almas para seu Reino.

Financiar essa grande colheita de almas exigirá tremenda quantia de dinheiro. O mundo não financiará. É algo que compete ao povo de DEUS!

A razão pela qual transferirá a riqueza dos ímpios para as mãos dos justos é possibilitar que alcancemos os três bilhões de almas que nunca ouviram falar do evangelho!
Há muitos ministérios lutando para obter os recursos financeiros necessários para cobrir o seu orçamento e para empreendimentos de alcance mundial. DEUS nunca pretendeu que houvesse falta de recursos para a realização da obra que ELE nos chamou a fazer entre as nações, sem se esquecer das obras ligadas à sua própria região e às igrejas locais.

O seu plano é derramar a sua abundante provisão sobre o seu povo, de modo que possam usar o dinheiro para financiar a colheita do final dos tempos.
O problema é que as verbas para a colheita final foram cortadas! Os cristãos foram atacados em suas finanças e pararam de contribuir com dízimos e ofertas na casa do tesouro de DEUS.
Mas chegou o momento de DEUS destruir o espírito de pobreza, liberar seu povo das dívidas e liberar um fluxo de bênçãos sobre a nossa vida e assim realizarmos tudo que DEUS nos mandou fazer.
No Antigo Testamento, DEUS fez provisão para as necessidades de sua casa por meio das ofertas voluntárias de seu povo!
Durante o reinado de Acazias, rei de Judá, a Casa de DEUS (o templo) foi negligenciado e danificado e os utensílios foram usados em cultos idólatras. Joás, filho dele, ao assumir o trono, chamou todos os sacerdotes e levitas e pediu-lhes que aceitassem uma oferta do povo para a restauração da Casa de DEUS.
Ordenou-lhes que recolhessem o dinheiro para fazer os devidos reparos no Templo. Como os levitas demoraram a tomar as providências, o rei Joás ordenou que uma caixa fosse construída e colocada do lado de fora da porta da Casa de DEUS, perto do altar dos holocaustos.
Quando o povo ouviu a proclamação do rei Joás, atendeu-a imediatamente. Todos os príncipes e o povo se regozijaram com a oportunidade de ofertar a DEUS. Dia a dia, o povo vinha à porta da Casa de DEUS e colocava o dinheiro na caixa. Dia após dia, a caixa se enchia.
Era tamanha abundância, que havia não apenas o suficiente para os reparos na Casa de DEUS, mas também dinheiro para gastar! Usaram o restante para confeccionar utensílios de prata e ouro para ministração na Casa de DEUS.

NÃO HAVIA FALTA DE NADA.

Esse é o tipo da doação liberal que DEUS deseja que aconteça na igreja e nos projetos sociais hoje! Quando a igreja já for purificada e os cristãos começarem a dar o que ELE os ordena, a oferta com pureza de motivação, DEUS multiplicará as doações até que haja abundância.
O dinheiro que DEUS dá é um meio de ganhar vidas! É um meio de treinar os obreiros para as nações! É um meio de prover as ferramentas do ministério, para que os evangelistas alcancem as nações com a Palavra de DEUS.
Liberte-se da mentalidade do “abençoa-me”, a qual prevalece hoje na igreja (se o SENHOR me der isso, eu vou dar ou fazer aquilo); isso faz com que o povo esteja mais preocupado em receber bênção, que em usar o dinheiro para fazer a vontade de DEUS, que libere a bênção sobre as suas finanças e faça de você um dos investidores do final dos tempos.

DEUS TE ABENÇOE...

25 de dezembro de 2015

JESUS O VERDADEIRO NATAL!

O primeiro e o derradeiro, principio e o fim!

No mês de dezembro, muito se fala do natal, natal...vou comprar presente, panetone, nada pode falta pois se não deu tudo errado.

Receber um presente de Natal é ótimo, mas não é o mais importante, um abraço, um beijo, entre outras formas de afeto ao seu ente querido, pode ter mais valor do que um bem material. O Verdadeiro sentido do Natal é isso, poder confraternizar este dia em paz junto com a família e os amigos, aqueles que estão amargurados com alguém que lhe fez algum mal, esqueça o que lhe foi feito e deixe a magoa para trás, fique de alma lavada para o Ano Novo que está chegando, e leve todo esse astral, essa aura e todas as coisas boas para os demais dias do ano, porque é isso o que pede esta ocasião, não adianta ao aproximar-se a atmosfera natalina, beijarmos, abraçarmos e nos confraternizarmos fingindo amizade e amor, quando, na verdade passamos o ano inteiro “puxando o tapete” do próximo, mentindo, enganando, esbanjando ridícula vaidade, cometendo injustiças e torpezas, inflando arrogância, discriminando, constrangendo moralmente, envolvidos em intrigas e fofocas, disputas desonestas, traindo, ameaçando, sendo revanchistas, impiedosos e hipócritas.

Muitas denominações evangélicas não se comemorava o natal, mesmo sendo o principal motivo do natal, mesmo Ele sendo o motivo único deste dia, temos alguns toques do paganismo, e por isso durante anos não se comemorava por parte de algumas liderança, em nossos dias isso mudou, muitos povos se comemora essa data.

O mestre Jesus veio para que a natureza do homem Adão fosse tirada de dentro do homem, onde pelo casal Adão e Eva entrou a desobediência na humanidade por ter comido do fruta da árvore da ciência do bem e do Mal.

“E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.”
Gênesis 2:16,17

E pela desobediência do primeiro homem, Deus envio homens como: Noé, Abraão, Moisés e outros que foi usados para redenção do homem que havia caído e por si  mesmo não pode  se levanta.

Deus amou o mundo de tal maneira que enviou Jesus, para salvar o que se havia perdido. Jesus nasceu para ser caminho para os seres humano voltarem para Deus. Nele não existia formosura, era aflito de Deus, ovelha muda sendo levado ao matadouro, isso por amor a sua vida.

O Salvador nasceu para que você não morresse em pecados, uma vida sem o mestre terá um fim muito trágico, deixe o único e verdadeiro te fazer filho do Pai. Nasceu o mestre para a redenção de sua alma.

Jesus o verdadeiro Natal!!!


Celebre o nascimento do amado de sua alma, o desejado das nações.

18 de dezembro de 2015

NEGUE-SE A SI MESMO, TOME SUA CRUZ

Negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me! (Mc. 8. 34)

          
No Evangelho de Marcos 8.34, descreve que Jesus Cristo chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. 

Você já meditou na profundidade das palavras do Senhor Jesus Cristo neste mandamento? Considere as palavras do Senhor e responda a você mesmo se já renunciou a tudo para seguir as pegadas de Cristo; para que a sua fé não seja vã, mas seja fortalecida pela obediência na palavra do Deus vivo e na esperança da vida eterna.

Negar a si mesmo, tomar a sua cruz e seguir a Cristo: Estes são os princípios que verdadeiramente nos conduzem a salvação, porque são mandamentos daquele que, e, tão somente Ele, tem poder para salvar, porque em nenhum outro há salvação.

NEGUE-SE A SI MESMO

Negar a si mesmo é ser desprovido de todo sentimento faccioso como a inveja, vaidade, ciúmes, avareza, soberba, concupiscência da carne, lascívia, ira, desejo de vingança, vícios e outros sentimentos abomináveis ao Senhor.

Negar a si mesmo é oferecer o outro lado da face, é perdoar e amar os vossos inimigos, bendizer os que vos maldizem, fazer bem aos que vos odeiam e orar pelos que vos maltratam e vos perseguem.  Ter a mesma humildade de Cristo, andar em santidade como Ele andou, guardando os seus mandamentos fazendo a vontade do Pai. Isso é negar a si mesmo.

O jovem rico perguntou a Jesus o que deveria fazer para herdar a vida eterna, o Senhor lhe disse que deveria guardar os mandamentos, ele respondeu a Jesus que já fazia isso desde a sua mocidade. A palavra afirma que Cristo o amou e disse-lhe: Falta-te uma coisa: vai, e vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem e segue-me.  Mas ele, contrariado com essa palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades (Marcos 10.17 - 22).

Aquele homem sentia o desejo de ver a glória de Deus, e buscou a Jesus Cristo, o qual lhe ensinou o caminho que leva a salvação e a renúncia que o seu desejo exigia. Mas, o jovem recusou-se em negar a si mesmo, em abandonar os bens desta vida, à esperança de um tesouro no céu, algo que é infinitamente maior do que toda a riqueza deste mundo.

Porque negar-se a si mesmo para seguir as pegadas de Jesus exige desapego, abdicação dos prazeres da carne para viver uma vida espiritual sob a égide do Senhor. 

Então disse Jesus:É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no Reino de Deus.  Que importa ao homem, ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?

Lamentavelmente, hoje, muitos estão no mesmo caminho daquele jovem rico, procuram servir a Jesus com único interesse nas coisas deste mundo, querem viver na abundância dos prazeres da carne, em regalia esplêndida, mas não querem compromisso com Deus, não renunciam a si mesmo para servir o Senhor.

 Abandonaram a graça do Senhor Jesus, pelas prosperidades materiais que são coisas pequenas, inúteis e vãs, diante da grandeza da glória do Senhor e da vida eterna no reino de Deus, juntamente com Jesus Cristo e todos os seus santos anjos.

COMO SEGUIR A JESUS?

Seguir a Jesus é andar no mesmo caminho que Ele andou em toda a sua boa maneira de viver. Ser humilde (ser humilde não tem ligação nenhuma com a condição econômica de alguém), andar na fé, na caridade, no amor ao próximo, ter coragem de dar a tua vida, por aquele que, primeiro deu a sua por você.

Na Carta do Apóstolo Paulo aos Efésios 5. 1- 2 a palavra do Senhor diz: Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave. E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.

            Filipenses 2. 5, Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois, Jesus não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos. É exatamente assim que o servo de Deus deve andar, como verdadeiro imitador de Jesus Cristo em toda boa obra, seguindo o seu exemplo e testemunho de vida, procurando imitá-lo em sua perfeição. Isto é seguir a Jesus.

Seguir a Jesus é ser participante das suas aflições, alegrar-se nas provas e tribulações como nos testemunhos dos nossos irmãos, que sofreram por amor ao nome do Senhor Jesus Cristo, porque tinham a certeza da glória que lhes estava reservada. Vejamos:

II Coríntios 1. 5. Porque, como as aflições de Cristo são abundantes em nós, assim também a nossa consolação sobeja por meio de Cristo.

I Pedro 4. 12-13, diz: Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós, para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse. Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis.

Seguir a Jesus é ouvir a sua voz e conhecê-lo: Evangelho de João 10. 14 e 27 - Disse Jesus: Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem.

Ao contrário do que imaginam aqueles que não conhecem a Deus, seguir a Jesus não é nenhum martírio, exige sim a renúncia das coisas mundanas, o que nos faz muito mais saudáveis tanto material como espiritualmente, antes é prazeroso e gratificante servir ao Deus vivo verdadeiramente, em espírito e em verdade.

Pois, só quem sentiu o "ardume" do Espírito Santo no coração, e o gozo de ser um servo de Deus, é capaz de entender a alegria que pronunciamos, pois essas virtudes são indescritíveis.

A palavra do Senhor em I Coríntios 10.13 diz: Fiel é Deus, que vos não deixará tentar acima do que podeis; antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.

Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma.  Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.

Em I João 5.3 diz:Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados.   Portanto, não há razão para nos inquietarmos, o Senhor não nos dará uma prova acima daquilo que possamos suportar, porque o seu fardo é leve, o jugo suave e os seus mandamentos não são pesados.

     Amigo(a), não deixe nada atrapalhar você, tome a decisão correta, tome a sua cruz, negue-se a si mesmo, e siga a Cristo; e se já havia tomado, não desista por nada deste caminho!

CONFIRA O VÍDEO:


Fonte:Focado em Deus


17 de novembro de 2015

MODELO DE CASA DE DEUS


“Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam”
Salmos 127.1
-Introdução: Precisamos entender melhor como Deus vê a nossa casa e como podemos edificá-la na presença de Deus.
Vamos usar a figura da casa com referências Bíblicas para mostrar como deve ser a nossa casa de acordo com a vontade de Deus.
Como é a casa que Deus quer?
A resposta será montada no desenho de uma CASA:


1- A BASE= Cristo a Rocha: Efésios 2.20-22“edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular
A base sobre a qual devemos edificar a casa para que seja forte é a Rocha que é Cristo (Mateus 7.24-27).

2- As PAREDES= Proteção: Neemias 4.14b “lembrai-vos do Senhor, grande e temível, e pelejai pelos vossos irmãos, vossos filhos, vossas filhas, vossa mulher e vossa casa
As paredes da casa são a proteção do lar e isso é tarefa de cada um na família. No tempo de Neemias edificaram um muro ao redor da cidade com as casas cercando a cidade e cada família edificou o muro perto da sua casa.

3- O TETO=Presença do Senhor: Salmos 91.1 “O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente
A presença do Senhor deve ser a cobertura da família e um contato aberto com a glória de Deus.

4- ÁGUA=Fé: João 7.38 “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva
Como não pode haver falta de água numa casa também não pode faltar a fé que faz fluir a presença de Deus no lar.

5- LUZ=Bíblia: Salmos 119.105 “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos
A Bíblia deve ser lugar de destaque para a casa e para a família não como ornamento, mas como Palavra de Deus.
Deixe Deus ser o arquiteto de sua casa!



-CONCLUSÃO:
A casa vista por Deus é assim, não importa se é grande ou pequena. O que  faz a diferença é se for um lugar firme na Rocha, com proteção, a presença do Senhor e onde flui o rio do Espírito e a luz da Palavra de Deus.
Deixe Deus edificar a sua casa.

Por: Esboço e sermões

Não Mais Olhar Atrás – por Luciano Subirá

“A outro disse Jesus: Segue-me! Ele, porém, respondeu: Permite-me ir primeiro sepultar meu pai. Mas Jesus insistiu: Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos. Tu, porém, vai e prega o reino de Deus. Outro lhe disse: Seguir-te-ei, Senhor; mas deixa-me primeiro despedir-me dos de casa. Mas Jesus lhe replicou: Ninguém que, tendo posto a mão no arado, olha para trás é apto para o reino de Deus”. (Lucas 9.59-62)
Temos aqui um chamado de Jesus a duas pessoas diferentes, mas que lhe responderam de modo semelhante. Enquanto Jesus esperava de cada uma delas um profundo comprometimento, elas, por sua vez, estavam presas demais às coisas terrenas e questões transitórias.
A primeira pessoa queria sepultar seu pai antes de seguir esse chamado. Particularmente não creio que o pai já houvesse morrido e o velório estivesse em andamento; penso ser um costume onde o filho (normalmente o mais velho) tinha a sua saída de casa liberada somente depois da morte do pai. Porém, independente de qualquer interpretação ou especulação do assunto, temos alguém dando uma desculpa ao chamado de Jesus, demonstrando estar presa a algo e, assim, impedida de atender prontamente ao Senhor.
A segunda pessoa se oferecesse para seguir a Cristo, mas queria ao menos despedir-se dos seus. Tinha uma prontidão maior que a primeira e uma desculpa menor (ou que se resolveria mais depressa). Mas Jesus deixa claro que depois de terem se envolvido com ele, estas pessoas não tinham mais a opção de olhar atrás. Se o fizessem, não seriam aptas para o Reino de Deus. A palavra traduzida como “apta”, no original grego, é “euthetos”. Segundo o Léxico de Strong, seu significado abrange o conceito de “apropriado” e “útil”.
De acordo com a afirmação do Senhor Jesus, não podemos hesitar em atender seu chamado, nem sermos encontrados presos a coisas ou valores que nos impeçam de seguir adiante em obediência a Ele. A verdade é que todos temos dificuldades de abrir mão de determinados valores. Ficamos presos à algumas coisas de nossa vida. Mas quando se trata de seguir a Cristo, não podemos ter nada que nos prenda. Não podemos mais olhar para trás.
Quem põe a mão no arado, precisa olhar para frente, focar sua meta. Se olhar para trás não será bem-sucedido no que faz. Semelhantemente, se queremos servir ao Senhor, a opção de olhar atrás não deve existir, uma vez que quem assim procede não é considerado “útil” para o Reino de Deus.
Recordo-me que, anos atrás, assisti o filme “Fogo contra fogo” (1995), considerado por muitos um ícone entre os filmes de ação e enredo policial. Na trama, o ator Robert De Niro interpreta a personagem Neil McCauley, um bandido que lidera uma gangue que vem realizando roubos ousados; já o ator Al Pacino interpreta a personagem Vincent Hanna, o detetive que está à frente da caçada a esse bando de criminosos. Num determinado momento, o detetive aborda o criminoso e o convida para tomarem um café. Nessa conversa eles, de forma discreta, medem forças e fazem ameaças. Quando o detetive menciona estar com seu casamento por um fio por ter que perseguir bandidos como o McCauley, ele imediatamente responde ao policial que quem está nesse tipo de vida não pode pensar num casamento. Isso faz o detetive questionar se ladrão não tinha mulher. Ele diz que sim, mas menciona um conselho que recebeu de outro bandido: “Não se deixe envolver com nada que você não possa abandonar em três segundos exatos, se perceber os tiras na sua cola”. Em outras palavras, ele estava dizendo: “Não posso ter que nada que me prenda, que me faça hesitar na hora de que tiver que largar tudo para trás”.
Enquanto assistia o filme recordava-me de muita gente que vi converter-se ao Senhor vindo do mundo do crime. A maioria dizia que, naquele tempo, só dava certo “trabalhar” com gente que não tem nada a perder, que não tem nada que o prenda. Longe de mim parecer que estou ensinando que temos algo a aprender com bandidos, mas penso que eles entenderam a importância de praticar um princípio que, na verdade, é nosso! E foi exatamente isso que Jesus nos ensinou. Diante do chamado de Deus não deveríamos hesitar nem um segundo sequer em atendê-lo.
O QUE SIGNIFICA OLHAR ATRÁS
Antes de falar do significado da expressão usada por Jesus, quero adiantar um conceito importante: as Escrituras apresentam uma clara diferença entre a conversão e a santificação. A primeira fala do rompimento da pessoa com o mundo e o pecado e é a experiência através da qual alguém passa a desfrutar a salvação. A segunda fala do rompimento da pessoa com coisas que impedem seu crescimento e progresso na fé.
John Wesley declarou: “A conversão tira o cristão do mundo; a santificação tira o mundo do cristão”. Concordo plenamente! Ouvi, ainda menino, um pregador afirmar algo semelhante (usando uma alegoria bíblica): “Difícil não é tirar o povo do Egito; difícil é tirar o Egito do povo!”
Saudades do que ficou para trás
Olhar atrás significa ter saudades do que deixamos, e Deus não admite isto. Jesus também ensinou acerca disto:
“Lembrai-vos da mulher de Ló”.  (Lucas 17.32)
Além de validar o relato do Velho Testamento sobre o que ocorreu com a mulher de Ló, Jesus está nos dizendo que precisamos aprender com ela.
O Velho Testamento está cheio de memoriais. Monumentos ou episódios que não deveriam ser esquecidos. Não para que o povo de Deus ficasse preso à história, mas para que retivesse as lições que serviriam sempre ao mesmo propósito.
A mulher de Ló
Quando o Senhor tirou Ló e sua família de Sodoma, advertiu-lhes claramente a que não olhassem para trás:
“Havendo-os levado fora, disse um deles: Livra-te, salva a tua vida; não olhes para trás, nem pares em toda a campina; foge para o monte, para que não pereças”. (Gênesis 19.17)
Temos uma figura aqui. Sodoma e Gomorra figuram este mundo perdido e devasso que há de ser julgado por Deus. Mas o livramento de Ló e sua família figuram nossa salvação e livramento do juízo e condenação deste mundo. Mas para não ser julgado com o mundo, não basta apenas sair geograficamente dele. É preciso que nosso coração também saia de lá!
Ao ordenar que não olhassem atrás, Deus estava dizendo que seria o fim de tudo aquilo, e que o coração deles deveria estar totalmente desprendido. Mas a mulher de Ló desobedeceu a ordem divina.
“E a mulher de Ló olhou para trás e converteu-se numa estátua de sal”.  (Gênesis 19.26)
A concordância de Strong mostra que a palavra hebraica traduzida para olhar é “nabat”. Também significa “contemplar, mostrar consideração a, prestar atenção”. Não fala de alguém que olhou por curiosidade para ver o tamanho do estrago produzido pelo juízo divino. Fala de alguém que tinha seu coração preso ao que deixou, mostrando com isso consideração pelas coisas que havia abandonado. A mulher de Ló é uma figura do comportamento de muitos crentes de nossos dias, e por isso deve ser lembrada.
Dificuldade de desprendimento
Olhar atrás fala da dificuldade de desprendimento. Matthew Henry declarou: “A primeira lição na escola de Cristo é a abnegação.”
Há muita gente que não consegue se desprender das coisas das quais Deus os libertou. Aquilo que um dia te prendeu, potencialmente ainda é um perigo. Por isso Paulo advertiu aos gálatas dizendo:
“Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão”. (Gálatas 5.1)
O apóstolo nos revela que o mesmo jugo de escravidão que nos oprimiu um dia, tentará pesar sobre nossos ombros novamente.
Precisamos entender que o fascínio do mundo e os pecados que nos acorrentaram um dia, ainda são um perigo para nós depois da conversão. Se não quebrarmos os vínculos com o passado, podemos nos ver pressos de novo. Assim como a mulher de Ló foi roubada de sua vida tornando-se uma estátua de sal, podemos também perder a vida de Deus em nós pelo fato de olhar para trás.
É por isso que nossa primeira mensagem deve ser sempre o arrependimento. Esta era a mensagem de Jesus (Mc 1.15). Era a mensagem que ele deu aos apóstolos (Lc 24.47). É um dos rudimentos da doutrina de Cristo (Hb 6.1,2). Quando mostramos a alguém que ele é um pecador, qual sua condição em consequência disto, bem como o preço colhido do pecado, estamos levando-o a uma possível quebra de vínculos com seu passado.
Sem um profundo arrependimento e dor pelo pecado, o crente pode ter saudades daquilo que deixou e olhar para trás.
No coração voltaram ao Egito
Existe dois tipos distintos de desviados. Há aquele tipo de desviado que vira as costas para Jesus e a Igreja e volta para o mundo:
“…Demas me abandonou, tendo amado o mundo presente, e foi para Tessalônica…” (2 Timóteo 4.10)
E também há aquele tipo de desviado que se desvia só em seu coração, embora continue fisicamente no caminho. Foi a estes que Estevão se referiu em sua mensagem, quando mencionou a geração de israelitas que saiu do Egito e rejeitou o ministério de Moisés:
“É este Moisés quem esteve na congregação no deserto, com o anjo que lhe falava no monte Sinai e com os nossos pais; o qual recebeu palavras vivas para no-las transmitir. A quem nossos pais não quiseram obedecer; antes, o repeliram e, no seu coração, voltaram para o Egito, dizendo a Arão: Faze-nos deuses que vão adiante de nós; porque, quanto a este Moisés, que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu. Naqueles dias, fizeram um bezerro e ofereceram sacrifício ao ídolo, alegrando-se com as obras das suas mãos”. (Atos 7.38-41)
A frase: “no seu coração voltaram ao Egito” revela a atitude de olhar para trás e desejar aquilo que foi antes deixado. Eles não voltaram literalmente ao Egito, da mesma forma como muito crente não chega a abandonar a Igreja, mas no seu íntimo viviam lá, como muito crente faz, sem se desligar das práticas (ou fantasias) mundanas.
Veja o que a Bíblia diz sobre como procediam:
 “E o populacho [povo misto] que estava no meio deles veio a ter grande desejo das comidas dos egípcios; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar e também disseram: Quem nos dará carne a comer? Lembramo-nos dos peixes que, no Egito, comíamos de graça; dos pepinos, dos melões, dos alhos silvestres, das cebolas e dos alhos. Agora, porém, seca-se a nossa alma, e nenhuma coisa vemos senão este maná”. (Números 11.4-6)
Tem muito crente assim na Igreja. Gente que sente saudades da bebida, das drogas, do sexo ilícito, das festas e de toda sujeira mundana e do pecado do qual foram libertos por Jesus. Eu acho isto muito, muito curioso. Não se lembram que antes eram escravos, que sofriam, que era um tempo difícil e de perseguição. Conseguem ter saudades apenas do que eles achavam que era bom. Esta atitude interior de saudade do que foi deixado, é olhar para trás como a mulher de Ló olhou. É voltar ao Egito, ainda que não seja de modo literal.
No coração, estão voltando para lá. Na verdade, acredito que antes do desvio que envolve o abandono de tudo, a pessoa começa se desviando em seu coração. Por isso a experiência de conversão não deve ser banal. A pessoa tem que saber valorizar aquilo que está abraçando e saber rejeitar para sempre o que está abandonando. O arrependimento genuíno produzirá este tipo de atitude em nós.
COMO GUARDAR-SE DE VOLTAR ATRÁS
O que podemos fazer, de forma prática, para não incorrer no erro de olhar atrás?
Quero, de forma resumida, oferecer alguns conselhos objetivos:
Consciência espiritual
O Senhor Jesus instituiu a Ceia da Aliança com o propósito de nos manter conscientes da sua morte e redenção por nós (1 Co 11.24,25). Isto nos faz perceber que devemos alimentar a gratidão e o compromisso através da lembrança do que foi feito por nós.
Esquecer-se do que éramos e do Cristo fez por nós é pura ingratidão. Pedro se refere de forma negativa àqueles que se esqueceram da purificação de seus pecados de outrora:
“mas aquele em quem não há estas coisas, é cego, vendo só o que está perto, porque se tem esquecido da purificação dos seus pecados antigos”. (2 Pedro 1.9 – TB)
Para olhar para trás é preciso se esquecer do que éramos e do preço que foi pago. Portanto, uma boa forma de nos guardar é manter o nosso coração consciente destes fatos em todo o tempo. Assim, não mais olharemos atrás e nos conservaremos firmes em nossa fé.
Firmeza
Alguns acham que nada devemos fazer por nossa firmeza, mas o fato é que as Escrituras nos ensinam que devemos intencionalmente fazer mais firme a nossa vocação, evitando assim de tropeçar, ou voltar atrás.
“Por isso, irmãos, ponde cada vez maior cuidado em fazer firme a vossa vocação e eleição; porque fazendo isto, não tropeçareis jamais. Pois assim vos será dada largamente a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. vinda de Cristo”. (2 Pedro 1.10,11 – TB)
Somos ordenados pela Palavra do Senhor a vigiar e cuidar de nossa própria firmeza. Contudo, muitos crentes vivem como se nunca tivessem recebido esta ordem. Transferem o cuidado de si sobre outros, mas o fato é que isto é responsabilidade nossa, e de mais ninguém:
“Vós, pois, amados, prevenidos como estais de antemão, acautelai-vos; não suceda que… descaiais da vossa própria firmeza”. (2 Pedro 3.17)
Prevenir-se. Acautelar-se. São palavras que indicam uma atitude (e responsabilidade) que Deus nos deu. E o propósito e não descair da própria firmeza. Ao falar assim, o Senhor nos mostra que a queda é uma possibilidade, mas nos mostra que pode ser evitada por prevenção e cuidado.
Voto de compromisso
Acredito que em nosso coração devemos firmar um compromisso formal com Cristo de não deixá-lo jamais. Ele prometeu que estaria conosco todos os dias (Mt 28.18). Também prometeu não nos abandonar:
“…porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei”. (Hebreus 13.5)
Se Deus prometeu não nos abandonar, porque nós não deveríamos fazer o mesmo?
Penso que cada cristão deveria se comprometer a não mais voltar atrás. Prometer isto em seu coração e também com sua boca, da mesma forma como um cônjuge se compromete com outro: sabendo que é para sempre e que não se pode mais voltar atrás. Imagine uma noiva dizendo ao seu noivo, no dia do casamento, que não poderia garantir se conseguiria ser fiel ou não, que seria melhor não prometer nada para não correr o risco de quebrar uma promessa…
Não devemos ter medo do compromisso, pois isto seria o mesmo que entrar já não acreditando na duração de um relacionamento. Devemos pensar bem antes de entrar, e então entrar para não mais voltar atrás.
Deus está nos chamando a renovar nosso compromisso e aliança com Ele, e firmarmo-nos cada dia mais em nossa fé e andar n´Ele. Como você responderá a Ele?

23 de junho de 2015

ACABANDO COM O ENGANO DO DIABO


Neemias 4.15-17 – 15- E sucedeu que, ouvindo os nossos inimigos que já o sabíamos e que Deus tinha frustrado o desígnio deles, voltamos todos nós ao muro, cada um à sua obra.
16- Daquele dia em diante, metade dos meus moços trabalhava na obra, e a outra metade empunhava lanças, escudos, arcos e couraças; e os chefes estavam por detrás de toda a casa de Judá;
17- os carregadores, que por si mesmos tomavam as cargas, cada um com uma das mãos fazia a obra e com a outra segurava a arma. “
II Coríntios 2.11 – “para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios.”

Quando tratamos de desígnio tem o sentido de intenção ou propósito. E vemos que o diabo e seus demônios terão sempre como desígnio roubar, matar e destruir o ser humano, o colocando em um estágio de miséria e assolação, assim como estavam os muros de Jerusalém e os seus moradores, vivendo em miséria e desprezo, e os muros caídos e portas queimadas.

Neemias 2.17 “17Então, lhes disse: Estais vendo a miséria em que estamos, Jerusalém assolada, e as suas portas, queimadas; vinde, pois, reedifiquemos os muros de Jerusalém e deixemos de ser opróbrio”

Espiritualmente um muro significa proteção, ou seja, a fé e a confiança em Deus, e porta é lugar de entrada, isto é, o nosso coração.

Jesus veio trazer a reconstrução e restauração do ser humano em sua plenitude (espírito, alma e corpo). Mas esse processo não acontece do dia para a noite e também não cai do céu, o que deve existir é uma indignação e inconformismo interior, um rompimento com tudo que amarra e acima de tudo construir uma história com Deus.

Neemias 1.4 “4 - Tendo eu ouvido estas palavras, assentei-me, e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus.”

Quais são os desígnios de satanás contra o homem:

Þ Seduzir e induzir o homem a pecar contra Deus para adquirir habilitação;
Þ Trazer uma grande destruição e levar o ser humano a miséria;
Þ Convencer que não existe possibilidade de reconstrução;
Þ Deixar o homem conformado em se “assentar” e conviver entre escombros
Escreverão em uma folha de papel todas as situações em que percebem uma intenção de satanás, um laço preparado em alguma área de sua vida. Denunciar também pecados ocultos, falta de vontade de abandonar o que traz destruição como um vício, por exemplo. Escrever áreas da vida onde está conformado, e não acredita mais em restauração.

PARA DESFAZER OS DESÍGNIOS DE SATANÁS PRECISO:

1) NÃO DAR IMPORTÂNCIA PARA AS VOZES CONTRÁRIAS DO INIMIGO (PRENÚNCIO DE BÊNÇÃOS)

Neemias 4.1.3 – 1 Tendo Sambalate ouvido que edificávamos o muro, ardeu em ira, e se indignou muito, e escarneceu dos judeus. 2 Então, falou na presença de seus irmãos e do exército de Samaria e disse: Que fazem estes fracos judeus? Permitir-se-lhes-á isso? Sacrificarão? Darão cabo da obra num só dia? Renascerão, acaso, dos montões de pó as pedras que foram queimadas? 3 Estava com ele Tobias, o amonita, e disse: Ainda que edifiquem, vindo uma raposa, derribará o seu muro de pedra “

2) FECHAR AS “BRECHAS” EM MINHA VIDA, E ESTAR PRONTO PARA RESISTIR;

Neemias 4.7 – “Mas, ouvindo Sambalate e Tobias, os arábios, os amonitas e os asdoditas que a reparação dos muros de Jerusalém ia avante e que já se começavam a fechar-lhe as brechas, ficaram sobremodo irados.“

3) VENCER O ESPÍRITO DE CONFUSÃO QUE SE LEVANTA PARA NOS ATRAPALHAR;

Neemias 4.8 “Ajuntaram-se todos de comum acordo para virem atacar Jerusalém e suscitar confusão ali.”

4) SABER SE PROTEGER, UTILIZANDO-SE DAS ARMAS ESPIRITUAIS;

Ne 4.9 “Porém nós oramos ao nosso Deus e, como proteção, pusemos guarda contra eles, de dia e de noite.”
QUANDO DESFAÇO OS DESÍGNIOS DE SATANÁS:
· VEJO DEUS FRUSTRAR OS PLANOS DE INIMIGO;

Ne 4.15(a) “15 E sucedeu que, ouvindo os nossos inimigos que já o sabíamos e que Deus tinha frustrado o desígnio deles.... “

· ocupo o lugar que deus tem para mim;

Ne 4.15(b) “voltamos todos nós ao muro, cada um à sua obra...”

· MANTENHO-ME sempre alerta, não ignoro MAIS os intentos do inimigo;

Ne 4.23 “23 Nem eu, nem meus irmãos, nem meus moços, nem os homens da guarda que me seguiam largávamos as nossas vestes; cada um se deitava com as armas à sua direita.“

· POR INTERVENÇÃO DE DEUS, VIVO A GRANDE OBRA DELE NA MINHA VIDA EM UM TEMPO RECORDE;

Ne 6.15-16 “5 Acabou-se, pois, o muro aos vinte e cinco dias do mês de elul, em cinqüenta e dois dias. 16 Sucedeu que, ouvindo-o todos os nossos inimigos, temeram todos os gentios nossos circunvizinhos e decaíram muito no seu próprio conceito; porque reconheceram que por intervenção de nosso Deus é que fizemos esta obra

Peguem a folha de papel e como um ato profético rasgarem e fazerem a seguinte oração: “Hoje eu desfaço da minha vida toda intenção do espírito de Sambalate e Tobias que se levantam para impedir a obra de reconstrução que Deus tem para fazer em minha vida, o desígnio de satanás não vai se cumprir. Declaro que não mais ficarei prostrado, chorando e me lamentando, mas me levanto para um novo tempo com oração, jejum e posicionamento, e como Neemias foi diante do rei, eu vou hoje diante de Jesus para clamar por restauração. Profetizo que as minhas portas serão mudadas e meus muros restaurados


. Hoje fecho todas as brechas e me levanto para a grande obra que Deus tem para fazer em mim e através de mim, em nome de Jesus, amem!

DEUS TE ABENÇOE...


Por:^Homem Apostólico 

Postagens mais antigas Página inicial
Copyright © DESPERTAI COM CRISTO | Suporte: Mais Template